Pokerstars, imaginação e caridade

O Pokerstars mais uma vez lança seu programa Helping Hands, para prover doações à Care International, que está atuando no Nepal ajudando as famílias vítimas do terremoto do dia 25 de abril deste ano. O deal é +EV, para cada dólar doado pelos jogadores, o site se encarrega de dobrar a quantia e enviar para a Care International. A iniciativa do PS não é nova, em novembro de 2013 o site também aceitou doações para as vítimas do furacão Haiyan, que devastou as Filipinas e deixou milhares de mortos. Se você deseja doar, pode encontrar mais informações na página Nepal Earthquake Emergency Appel, no site do Pokerstars.

Na literatura específica do poker, há um tema muito explorado, o de se colocar na posição do outro, tentar pensar como o adversário. Talvez esta seja a relação mais direta entre poker e caridade: a imaginação para com o outro.

Contudo, a caridade tem muitos lados, inclusive aquele menos falado e muito sabido, uma manutenção que visa deixar tudo como está, mantendo os que não têm, não tendo. Doa-se para manter a culpa de lado e deixar a consciência “limpa”. Doa-se para fazer o bem, mesmo quando o bem é somente sua própria imagem. Doa-se por imagem, quando o ato se resume à um marketing pessoal, quando é para ser visto.

A caridade, às vezes, é uma mecanismo estrutural quando é apenas um tipo de assistencialismo, talvez a faceta mais presente do próprio egoísmo, ou seja, ajudar apenas para manter as coisas como são, para manter o edge, novamente, deixando os que não têm, não tendo. Caridade como redenção, como escape pela situação de desigualdade, é um chute no saco.

Todos precisamos de caridade, é por isso que essa questão sempre passa por você. Ajudar ou não, ou saber ou não das implicações é importante, e a escolha é sua. Doar, de fato, não é pra se sentir bem (embora possa), mas para proporcionar algo, nesse caso da tragédia do Nepal, um alento.

Doar por imaginação, não para tornar a consciência limpa.

 

Imagem: rudall/Shutterstock (editada)

Comentários

Publicado por

Marco Naccarato

Marco Naccarato é designer, escritor, jogador de poker e autor dos livros Floating in Vegas e Floating in Miami, que relatam com humor a dinâmica do small stakes dessas cidades. Tem textos publicados nos sites Aprendendo Poker, Pokerdicas, PokerGirls e Queens of Poker, e é idealizador do site Metapoker, além de organizar o torneio semanal ADT Poker, no bairro da Mooca, em São Paulo

2 comentários sobre “Pokerstars, imaginação e caridade”

  1. “Eu não acredito em caridade. Eu acredito em solidariedade. Caridade é tão vertical: vai de cima para baixo. Solidariedade é horizontal: respeita a outra pessoa e aprende com o outro. A maioria de nós tem muito o que aprender com as outras pessoas.”
    ―Eduardo Galeano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha o campo abaixo para validar seu comentário * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.