Artigos

O par de damas que quebrou qualquer estatística

0 936
0039

Providência simbólica a mão que definiu a cravada de Igianne Bertoldi na Brazilian Series of Poker desta madrugada. Quatro damas num baralho completo de 52 cartas representam aproximados 7,7% do total, um par delas, perto de 3,8%, o que é bem perto da quantidade de mulheres que se arriscam nos torneios. A metáfora possível é, tanto no baralho quanto nos fields, há pouco espaço, e estereótipos falam mais alto.

Há poucas mulheres no poker, o que não quer dizer menos capacidade, e nem mesmo significa que na média elas são piores que os homens. Para entender melhor, sugiro este artigo, sobre Perspectiva feminina no poker.

Igianne ainda carrega a pecha de ser dealer além de mulher. E o dealer você sabe, é aquele irresponsável que bate um out no river pra estragar a sua festa… Nessa escala de hostilização, jogador é vagabundo, mulher é insegura, intuitiva e não sabe jogar, e dealer tem mão de pântano. Até quando?

Na mesa final, a vencedora eliminou quatro oponentes, deu pelo menos por quatro vezes insta-call no chipleader puxando os potes (numa delas com K-high), certa de que estava a frente no river, e depois o eliminou num bordo sem surpresas. Ela estourou all in numa jogada de efeito e perdeu, já no heads-up, equilibrando a disputa, mas soube refazer seu stack e partir para a vitória. Mas se levássemos em consideração as estatísticas, ela nem deveria estar ali, se levássemos em consideração os estereótipos, ela não sabia o que estava fazendo.

A dama com seu par de damas em Foz do Iguaçu (Foz, que significa local onde o rio desemboca; e Iguaçu, que em tupi-guarani pode ser traduzido como água grande), pode e deve ser a representação da grande desembocada feminina do poker no Brasil.

Foto: Imagem da página pessoal do facebook de Igianne Bertoldi.

Comentários

  • Editor Rating
  • Nota da redação
  • Total score
  • User Rating
  • Nota da redação
  • Total score

About the author / 

Marco Naccarato

Marco Naccarato é designer, escritor, jogador de poker e autor dos livros Floating in Vegas e Floating in Miami, que relatam com humor a dinâmica do small stakes dessas cidades. Tem textos publicados nos sites Aprendendo Poker, Pokerdicas, PokerGirls e Queens of Poker, e é idealizador do site Metapoker, além de organizar o torneio semanal ADT Poker, no bairro da Mooca, em São Paulo

Related Posts

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Preencha o campo abaixo para validar seu comentário * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Arquivos

Comentários