Não há ficha, não há cadeira

No torneio que termina no início da aurora, que só pode ser notada olhando para o relógio no fundo da sala de poker que insiste em não ter janelas, uma fatiada. Nada que probabilidade e aleatoriedade não demonstrem, de dois outs veio um, a trinca do par menor do adversário deu as caras e levou o pote, pote gordo, quase que todo o stack, com exceção de um ficha roxa.

A ficha roxa quase sempre tem o valor estampado de $500, convenção que lembra a das bolas de sinuca, vermelha é um, amarela é dois, verde é três. No turfe a variação é maior, mas é comum o cavalo número um usar vermelho, o três, azul, e o quatro, amarelo. São os padrões e convenções que nos fazem identificar rapidamente os valores, e por vezes as quantidades.

Nesse torneio, um jogador teve uma sacada das boas, percebeu que uma pilha de vinte fichas, roxas ou não, tem exatamente a altura dos dedos quando seguramos a pilha apoiando a palma da mão em cima. No caso dele, claro, afinal fichas têm padrão, mãos não. Mas, padrões nos diferenciam, a forma como o oponente aposta, o jeito que espalha as fichas, como reage ao flop, o que faz quando vai all in. Assim vamos construindo uma rede de padrões, observando as recorrências, percebendo reações e emoções, jogando o jogador.

Voltemos à fatiada. Ele nem sabia que havia sobrado com uma ficha, e quando foi avisado, já distante de seu assento, lembrou da frase “a chip and a chair“, que virou convenção e ficou conhecida quando o jogador Jack Straus ganhou o Main Event da WSOP em 1982, após ficar com apenas uma ficha de $500. Deu de ombros, foda-se, ele tinha $500, tinha um assento, mas não tinha cabeça.

Esse montante de pensamentos frente à objetos, uma ferragem forrada e estofada, uma peça de argila e plástico. Não há ficha, não há cadeira, somente nosso olhar, emoções e pensamentos.

 

Imagem: Torneio diário no Caesars Palace (Naccarato)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha o campo abaixo para validar seu comentário * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.