Mulher sim. Jogadora de poker sim. Vulgar nunca!

Texto de Mercedes Henriques, do Queens of Poker

Meu nome é Mercedes, sou mulher, jogadora de poker e faço parte do grupo Queens of Poker, que promove a inclusão de mais mulheres nesse esporte da mente. Atualmente o percentual de mulheres jogando nos eventos live é estimado em 5%, e um dos nossos principais objetivos é incentivar a participação feminina para aumentar esse percentual e tornar perceptível o talento das mulheres para o poker. Tentarei me expressar de forma simples e objetiva, sem palavras difíceis, pois este não é o meu perfil.

Fui convidada a fazer este post, porque estava muito indignada com uma propaganda de um clube de poker, anunciando um jogo, que para as mulheres o buy-in seria grátis e blá, blá, blá. Os responsáveis pelo marketing utilizaram a figura de uma mulher seminua, com umas cartas de baralho por cima. Quando vi, primeiro achei que era propaganda de casa de massagem ou boate, demorei para associar a imagem a um convite para mulheres jogarem poker. Acho que tiveram a idéia errada para essa chamada, não somos um produto a venda e nem gostamos que nos associem a este tipo de imagem erotizada, somos mulheres e queremos respeito, não importa em que ambiente estejamos.

Não quero levantar bandeira feminista nem queimar peças íntimas na praça. Mas gostaria que os empresários das diversas áreas desse esporte, como donos de clubes, revistas, blogueiros e profissionais de marketing, se ligassem em fazer melhores chamadas. Utilizem mulheres jogando, pois isso sim chamaria a atenção de outras mulheres a jogar. Estamos em luta para atrair mais jogadoras femininas, temos maravilhosos exemplos de mulheres se destacando cada dia mais, como por exemplo Alê Braga, Milena Magrini, Beatriz Fonseca, Thalita Cascaes e Igianne Bertoldi, atual campeã da Etapa BSOP de Foz do Iguaçu. E isso porque só mencionei algumas jogadoras nacionais, peço desculpas as que não falei o nome aqui, pois ficaria muito longo meu post (hahaha).

Vamos respeitar essas profissionais que estão lutando para conquistar o espaço feminino nesse esporte. Para jogar poker não importa seu sexo, sua cor, sua crença ou idade. É preciso que se saiba jogar e que estude para se aperfeiçoar. Não queremos protecionismo por sermos mulheres, só queremos respeito, respeito nos clubes, nas salas de poker e nas mídias.

Sou mulher, sou jogadora de poker, sou Queen com orgulho.

PS.: Utilizei nesse post, algumas frases de amigas jogadoras, agradeço por isso, pois são pessoas comprometidas com um só ideal.

 

Foto: Blog Chez Meloni, sinal de trânsito na Alemanha

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha o campo abaixo para validar seu comentário * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.